domingo, 28 de outubro de 2012

FOLHAS CAÍDAS, FOLHAS MORTAS


Folhas mortas que caís no quieto lago
Vosso espelho em vossa vida breve!
Folhas secas que deixais um lugar vago
No peito, cuja dor se não descreve.
Flhas caídas que perdeis no frio lago
Ilusões duma vida breve, já desfeita...
Olhai, que do sacrifício por vós pago,
Só vos dou esta imagem imperfeita:-
-Como vós- sim- eu fui, em ambições!
Mas... ah! como em tristes desilusões
Se transformaram meus anseios num momento!
Quis achar o Paraíso neste pobre mundo!
Mas... meus sonhos, no pélago profundo
Se afundaram, para sempre- meu tormento.
Revisto em 04/10/2012
JGRBranquinho

Sem comentários:

Enviar um comentário