quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

CHAMAM-LHE CRISE ( acróstico )


     CHAMAM- LHE  CRISE

Chamam crise, à situação indesejada,
Há muito, já, existente entre nós.
Ai! Ai de nós, sem culpa de nada!
Martirizados sem que se ouça nossa voz.

A sina deste povo, é pagar e calar...
Muitos anos a sofrer tal maldição?!.
Ladrões que só vivem p'ra se governar,
Habituados, há muito, na exploração.

Esquecem o pobre povo, já tão castigado,
Com tantos dislates por todo o lado
Rindo-se nas nossas barbas, sem vergonha.

Irra! Irra que é demais, tanta roubalheira!,
Sacando o vil metal, bem à sua maneira
Extorquindo! Envenenando com tal peçonha.

Quinta da Piedade, outubro de 2012
JGRBranquinho

1 comentário: