sexta-feira, 6 de março de 2015

O ARDO DA RUA AUGUSTA - ARCO DO TRIUNFO DA PRAÇA DO COMÉRCIO



O Arco da Rua Augusta
O Arco do Triunfo da Praça do Comércio, vulgarmente conhecido por Arco da Rua Augusta, é mais um dos projectos desenvolvidos para a Lisboa do pós-terramoto de 1755 pelo engenheiro. F
unciona como uma imponente porta para a cidade reconstruída segundo o plano pombalino. Pensado em 1759, a sua construção sofreu uma interrupção, ficando a obra parada, sem que as colunas compósitas se encontrassem cobertas pela estrutura em arco. Em 1843 foi aberto um concurso para um novo projeto de cobertura, abandonando-se assim a ideia inicial do engenheiro Eugénio dos Santos. No ano seguinte o arquiteto Veríssimo da Costa, vencedor do concurso, fica encarregue da finalização da obra.
O monumento apresenta na parte frontal as armas reais, no reverso um relógio de grandes dimensões e no topo três grandes estátuas representando a Glória coroando o Génio e o Valor. Abaixo destas três esculturas observamos outras cinco, da autoria do francês A. Calmels, caracterizando, da esquerda para a direita, Viriato, Vasco da Gama, Nuno Álvares Pereira e o Marquês de Pombal, ladeados os cinco pelas alegorias dos rios Tejo e Douro. A inauguração deu-se no ano 1873. Na obra existe uma inscrição em latim – Virtutibus maiorum ut sit omnibus documento. P. P. D. (Pecunia Publica Dicatum) – que traduzida significa: Às Virtudes dos Maiores, para que sirva a todos de ensinamento.

Sem comentários:

Enviar um comentário