quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

CONSTATAÇÃO E DESEJO


CONSTATAÇÃO E  DESEJO

Já muito vivi, muito amei

 e quero amar!

Minha vida quero celebrar,

 quero cantar,

Honrando e louvando

quem me criou.

Quero mais algum tempo

 neste mundo,

Podendo dedicar-me

com amor profundo

A quem quero e que tanto

 já me amou.


Já muito vivi, mas não quero

 inda morrer!

Quero ler, quero cantar,

quero escrever.

Com os outros

meus préstimos partilhar.

Quero conduzir meus passos

 com rigor

Espalhar meus pobres versos

 com amor,

Dar de mim o melhor

 que puder dar.

Quinta da Piedade, 28 de fevereiro de 2013

JGRBranquinho


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

À TUA ESPERA

Resultado de imagem para jardim da corredoura portalegre


À  TUA  ESPERA

Penso em ti- mulher!
 Espero-te neste jardim, junto ao lago, onde tantas vezes esquecemos nossos problemas e demos largas ao nosso amor.
Cada momento me parece infindo, na ânsia de ter-te nos meus braços!
Olho fixamente o Arco da rua por onde espero que passes, vindo ao meu encontro.
Ouço, dos pássaros, o cantar bem trinado, neste tempo de primavera, como que a abençoar este encontro nesta tarde de amor, onde aguardo impaciente, sim, mas esperançado na tua aparição sublime para mim- teu afetuoso namorado e apaixonado poeta.
Não sei explicar o que sinto, dominado pela emoção de te ver e abraçar longamente, de te beijar sofregamente, sentindo o teu rosto lindo, as tuas mãos delicadas, os teus lábios quentes e sensuais!
Sei que tu virás- não o duvido- mas há sempre em mim esta inquietação nervosa, filha da dificuldade, da ameaça/proibição que nos querem impor por força de razões que não compreendemos, que não aceitamos,  que jamais iremos compreender!
Amo-te! Amas-me! Se tanto nos queremos, porque teremos que obedecer?!
Contando, por certo, com a nossa atual dificuldade em nos impormos (tomando uma decisão, já admitida por nós mais do que uma vez- subjugam-nos e martirizam-nos, sem dó nem piedade!
Até quando, Amor?! Atá quando suportaremos tal castigo?!
Alegre, já te vejo, ao longe, meu Amor! Trazes a tua nova pasta de cabedal, vestes o teu casaco- comprido, cintado,  de cor castanho claro. No teu passo elegante e apressado, diriges-te para aqui, ao meu encontro e emociono-me.
Vieste- uma vez mais- no intervalo de uma aula, fugindo e iludindo a vigilância da tua familiar responsável, na cidade.
É arriscado, ambos sabemos, mas tem o sabor do fruto proibido- o mais desejado!
Corro ao teu encontro! Abraço-te! Beijo-te! Amo-te perdidamente. Sou feliz!

Nota:- Texto revisto em Fevereiro de 2013.
Monte Carvalho
JGRBranquinho


segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

ÉPOCA ÁUREA DUM AMOR / VERDADE

   ÉPOCA ÁUREA DUM AMOR/VERDADE
Há sítios onde não sonhámos nossos prantos
Neste caminhar conjunto, bem lado a lado! 
Época áurea dum amor/verdade, mal fadado, 
De que jamais esqueceremos os encantos.
 
De que jamais esqueceremos os encantos 
Tais e tantos, de singulares amores, 
Onde,em nosso caminho...só belas flores 
Sem a sombra de indesejáveis prantos.
 
Sem a sombra de indesejáveis prantos 
Que nem por sombras admitimos vir a ter! 
Mas- sem recursos- aos poucos vimos perder 
Para sempre, esses momentos só de encantos.
 
 Quinta da Piedade, 23 de fevereiro de 2013 
JGRBranquinho

ÉPOCA ÁUREA DUM AMOR / VERDADE


ÉPOCA  ÁUREA DUM  AMOR/ VERDADE

Há sítios onde não sonhámos nossos prantos
Neste caminhar conjunto, bem lado a lado!
Época áurea dum amor/verdade, mal fadado,
De que jamais esqueceremos seus encantos.

De que jamais esqueceremos seus encantos
Tais e tantos, duma época de singulares amores!,
Onde, em nosso caminho, só víamos belas flores
Sem sombra alguma de indesejáveis prantos.


Sem sombra alguma de indesejáveis prantos
Que nem por sombras admitiríamos vir a ter!
Mas... sem recursos... dia a dia vimos perder
Para sempre, esses momentos só de encantos

Vilamoura, 14 de maio de 2013
JGRBranquinho



domingo, 24 de fevereiro de 2013

FALEI COM O MEU CORAÇÃO



 


FALEI  COM  O  MEU  CORAÇÃO


Falei com o meu coração:-. Interroguei-o.

Lembrei-lhe lugares que muito amámos
.
Ruelas, jardins e praças que visitámos

Sem esforço- o mais pequeno!- recordei-o.


Falei com o meu coração:- juntos recordámos

Tempos bons dum bom tempo que vivemos.

Dias de dor de amor que não esquecemos...

Realidades/encanto que juntos desfrutámos.


Falei com o meu coração, palavras de verdade.

Ambos vibrámos! Ambos denotámos saudade.

Dum tempo maior e melhor que nos foi vida!


Hoje... voltámos, saudosos, a essa outra era

Quando era a vida uma duradoura primavera

Primavera a valer- por nós nunca esquecida.


Quinta da Piedade, 22 de fevereiro de 2013
JGRBranquinho




sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

QUANDO ESCREVO






QUANDO ESCREVO

 Quando escrevo...
(tantas vezes
em momentos inesperados...)
Solta a alma
Solto o coração...
As palavras não são minhas!
Passo-as ao papel
Escreve-as minha mão...
Sou apenas o agente,
o transmissor!
Sou qual máquina,
Qual autómato
que cumpre um dever.
Que cumpre instruções
sem vontade própria,
sem refletir!
Ponho em risco
a própria razão de ser,
como ser.

Quando escrevo...
(quantas vezes
em sítios inesperados...)
Nada do que escrevo é meu!
Exponho-me sem saber,
sem ter essa consciência.
Quando escrevo...
(assim...  sem o esperar...)
Não sou eu, não!
É minha alma,
É meu coração,
a que obedeço
sem resistência.

Quando escrevo...
(em tantas, tantas vezes...)
É algo que está
para além de mim!
Muito, para além de mim!
Empresto, apenas,
 a minha mão!
É fala da alma
É fala do coração.

Monte Carvalho, 9 de Fevereiro de 2013
 JGRBranquinho

UMA PERGUNTA, UM DESEJO

  Imagem relacionada

UMA PERGUNTA , UM  DESEJO

Haverá, ainda, neste nosso mundo, gente que não sabe amar, que não sabe o que é o AMOR?!
A pergunta- que pode parecer disparatada, é, no entanto (perante evidências mais que provadas)
pertinente e, portanto, justificada.
Aliás, ao fazer a interrogação, já está implícito um pressuposto bem evidente:
- Pessoas que pela sua conduta egoísta, olhando-se narcisicamente, com apego a si mesmas, sem repararem ou sequer sentirem a presença dos outros, julgando-se numa ilha deserta sem lugar para mais ninguém, dão-nos uma imagem tristemente negativa, em suma... detestável!
Viver em sociedade não é- não pode ser- estar nela por estar, por dizer que se está sem  atentar conscientemente, respeitosamente ao que se passa à sua volta.
 É outra coisa bem diferente! É fazer parte integrante dela, dando-se cada um ao outro, em atitude de solidariedade e companheirismo, partilha efetiva do bem que porventura desfruta.
Em posição de chefia ou irmanados em funções de trabalho e/ou convivência diária, a nossa atitude só pode ser de partilha constante no sentido de contribuirmos para uma sociedade melhor; uma sociedade que a todos traga o bem-estar, próximo daquele ideal sonhado pelos poetas, que a  cada dia acordam na esperança de que não seja mais uma utopia, mas uma efetiva realidade.
Aqui, cabe, necessariamente, uma referência aos educadores- pais e professores- em suma, a todos os que têm a missão de instruir e educar pela palavra, pelo exemplo.
Que todos tenham o bom senso de acordar para esta realidade, sabendo ser responsavelmente dignos!
Que possamos ter a felicidade de vivermos num mundo onde reine o amor, onde reine a amizade, deixando, aos vindouros, a certeza de que vale a pena estarmos juntos, comungando dos bens em igualdade de circunstâncias, tal como manda a boa doutrina, tal como é de justiça.

Monte Carvalho. 11 de fevereiro de 2013
JGRBranquinho



segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

J A M A I S !





           J A M A I S !

Meu Deus! Amei muito, amei tanto!

Vivi de meus amores todo o encanto.

Sofri bastante! Me alegrei sem medida

Em meus gloriosos dias neste canto

Recordações perenes da minha vida.
.
Meus Deus! Como adoraria poder voltar

A esses tempos, aqui no meu lugar,

Onde conheci o Amor e pude viver!

Jamais, tanta felicidade pude gozar!

Viverei de saudades até morrer.

Monte Carvalho, 10 de Fevereiro de 2013
JGRBranquinho

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

SERRA DE S. MAMEDE


  




SERRA  DE  S.  MAMEDE

Que deslumbramento d'alma, que grandeza
Por meus sentidos, hoje, viveu meu ser!
Que imponência! Que graça da Natureza!
Quanta riqueza, quanta imensidão por ver.

Que deslumbramento, minha Serra imensa!
Quanto esse teu encanto e aqui tão perto!
Foi, para mim, vida vivida, salutar, intensa!
Longe duma grande Cidade- meu deserto.

Ó Serra de S. Mamede- ondulante, magestosa, 
Com teus montes arredondados, tão formosa!
Onde se encheu minh'alma e tanto me encantei.

Minha Serra amiga! Voltei  hoje a desfrutar-te.
Sabes quão saudosamente vivo a amar-te
Encantada noiva! Sabes que jamais te olvidei.

Monte Carvalho, sábado- 9 de Junho de 2012  (22.45 h )
JGRBranquinho



terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

DIGO A VERDADE







         DIGO  A  VERDADE

Em frente da velha máquina de escrever
Quantas vezes já escrevi sem o esperar!
Esta, uma situação que não sei explicar
E que acaba, até, por me surpreender.

Não tenho um plano- digo a verdade.
Solta-se minha alma, solta-se meu coração
Sou o transmissor- cumpro uma missão
Talvez mais tarde venha a ter saudade.

Saudade de tanta situação inesperada
Dando azo a uma escrita não pensada
Que me permitiu a graça de escrever.

Porque me acontece isto, tantas vezes?!
É bem agradável, sim, não ter revezes
Feliz por tal dádiva-  podeis crer.

Monte Carvalho, 11 de fevereiro de 2013
JGRBranquinho

domingo, 10 de fevereiro de 2013

UM TEXTO NUM DIA AGRESTE



 

  UM  TEXTO  NUM  DIA  AGRESTE

Em mais uma visita à minha aldeia/mãe- Ribeira de Nisa-Monte Carvalho, concelho e distrito de Portalegre, deparo-me hoje com um dia frio e triste, depois de oito dias bastante agradáveis para a época, em que não faltou o Sol muito apreciado, mormente no Inverno.
A vida, por aqui, nesta altura, não foge muito à de outras regiões do interior, convidando mais a permanecer em casa, no agrado dum programa de televisão ou rádio, acompanhado pelo quentinho duma boa braseira a picão ou elétrica, se não há, já, uma boa e saudosa lareira a lenha...
Ora acontece, que hoje, apesar de ter um bom convite para um lanche na quinta de um casal amigo, que muito prezo, achei por bem não pôr o pé na rua e ficar aqui entregue aos meus pensamentos, transcrevendo alguns deles para o computador, que, a esta hora, me abriu as portas depois da autorização da respetiva rede, visto que aqui, por vezes, é problemática.
Muitas vezes, tal não me é permitido, com muita pena minha, como podeis calcular, agravada ainda pelas circunstâncias do tempo agreste que se faz sentir (frio, chuva e vento assustador) e também por me encontrar sozinho, embora  um tanto atenuada  por estar na casa onde nasci.
Nestes dias escrevi 'meia dúzia' de textos poéticos ao sabor da inspiração que me visitou ("Meu Monte Querido", "Cautério Injusto", "Quadras ao Monte Carvalho" "Por Isso", "O Amor Vencerá"e "Quando Escrevo" e "Jamais" que, a seu tempo, poderei enviar-vos.
No sábado- dia 2- tive a alegria de receber dos meus conterrâneos portalegrenses e sportinguistas, por intermédio do Núcleo Sportinguista de Portalegre, uma significativa homenagem, presidida pela Srª Dr.ª Adelaide Teixeira, M.I.  Presidente da Câmara, que agradeci e agradeço sensibilizado. Nesse mesmo dia dei entrevistas para a Rádio Portalegre e Jornais "Fonte Nova" e "Alto Alentejo", que as publicaram, bem como a notícia da homenagem que me foi prestada.
Regressarei a Lisboa, ainda esta semana, para cumprimento de deveres de muito agrado:- Almoço no sábado- dia 16- no Teatro D. Maria ( homenagem à amiga América Miranda e à sua Tertúlia "Ao Encontro de Bocage") e, no fim da tarde, participando na Tertúlia "Alimentar o Ser", no Bairro da Portela, da responsabilidade do meu amigo Carlos Cardoso Luís.
Na 4,ª feira- dia 20- na SALA VIP do SPORTING- a minha Tertúlia " SPORTING CANTO E POESIA", para que estão todos convidados. Lá vos espero.
Dei-vos as minhas notícias, esperando que não vos tenha aborrecido.
Como diz o outro:- "desculpem lá qualquer coisinha".
O meu abraço
Monte Carvalho, 10 de fevereiro, de 2013
JGRBranquinho

sábado, 9 de fevereiro de 2013

O AMOR VENCERÁ












O  AMOR  VENCERÁ

O amor
será sempre  triunfante!
Em toda a parte
Lei sagrada a cumprir.
Ninguém tem o direito
de o proibir!
É Dom de Deus!
O mais importante.

"Amai-vos
uns aos outros"
Disse o Mestre
O Salvador.
Jamais olvidar
tal mandamento!
Em cada dia
Em cada momento
Se há de cumprir
A Lei do Redentor:
"AMAI - VOS
UNS AOS OUTROS"!

Monte Carvalho, 08/02/2013
JGRBranquinho

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

MEU MONTE QUERIDO

 MEU  MONTE  QUERIDO

Minha aldeia/mãe
Meu cantinho, meu lar!
Meu lugar de abrigo
Meu Monte, meu encanto.
Por ti e para ti
Meu sentido canto
Enquanto puder
E souber cantar.

Minha aldeia/mãe
Meu cantinho, meu lar!
Onde nasci e cresci
Onde me refaço.
A que regresso alegre
A que me enlaço!
Meu sítio amado
Céu de encantar.

Meu Monte querido
Meu lugar de amor!
Refúgio mais sentido
Meu eterno Amor.
Meu berço dourado
Meu sonhar
Que muito em breve
Voltarei a abraçar.

Monte Carvalho, 8 de Fevereiro de 2013
JGRBranquinho

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

CAUTÉRIO INJUSTO




CAUTÉRIO  INJUSTO  

Longos dias- tristes dias intermináveis
De duas vidas no amor contrariadas!
Aspirações legítimas, jamais concretizadas!
Culpa de interesses de todo condenáveis.

Tempos duros, dum tempo já passado,
Na vida de dois amantes refletido.
Foi a proibição do "fruto proibido"
Cautério injusto dum par enamorado.

Que angústia! Que tormento suportado!
Que dias de dor só por se ter amado!,
Vividos por dois amantes injustiçados.

O Céu perdoará?! Dará a absolvição
A quem proibiu o Amor?! (Que contradição!)
Supliciando injustamente dois namorados?!

Monte Carvalho, 6 de Fevereiro de 2013
JGRBranquinho

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

QUADRAS AO MONTE CARVALHO



 


MEU  MONTE  CARVALHO

Meu Monte Carvalho
Minha aldeia amada
Terra de trabalho
Por Deus consagrada.

Por Deus consagrada
Bênção divinal
Por mim és cantada
Terra sem igual.

Terra sem igual
Onde me criei
Foste meu fanal
Não te esquecerei.

Não te esquecerei
Seja aonde for
Sempre te amarei
És o meu Amor.

Monte Carvalho, 5 de Fevereiro de 2013
JGRBranquinho

Responder
Responder a todos
Encaminhar
Clique

domingo, 3 de fevereiro de 2013

POR ISSO

    

      POR ISSO

Qual pérola preciosa do maior valor
Vejo e admiro em tua alma pura!
Brilhante, límpida, em ti perdura.
É pertença tua- mulher, meu Amor.

Qual pérola preciosa do maior valor
Brilhando em teu peito- suprema alvura!
Nenhuma outra assim- de igual altura
Vejo em qualquer lado- vá aonde for.

Por isso... este canto! Glória de cantar!
Por isso esta vontade em mim a palpitar
Que satisfaz meu ego- no dia-a-dia.

Por isso...este brado cheio de emoção!
Por isso... esta alegria em meu coração
Que sem tua existência não existiria.

Monte Carvalho, 3 de Fevereiro de 2013
JGRBranquinho