sexta-feira, 30 de abril de 2010

SER AMIGO DE ALGUÉM

Ser amigo de alguém não é o repetir constante, por palavras, em cada dia  ou  momento, esse tão nobre sentimento!
Ser amigo é sentir cá dentro um desejo contínuo de ouvir esse alguém, de o ver, de lhe falar, de com ele desabafar (em momentos difíceis ou alegres) porque  assim se dá um pouco sem quase  saber que dá, partilhando vivências numa compreensão mútua que a ambos aquece a alma e reconforta o coração.
Ser amigo é saber ser tolerante em alguma falha, sabendo que ninguém é perfeito.
É, também, saber criticar construtivamente (assim está a ser-lhe útil) constituindo-se como ajuda que só enobrece e enaltece os laços que os unem, fortalecendo-os, portanto.
Ser amigo é saber, por outro lado, situar-se no tempo e no espaço de modo a respeitar o campo de acção e dos próprios afectos ou predilecções do outro, na política como na religião, até mesmo no desporto.
Ser amigo é saber esperar pelo outro, ter a capacidade de o  escutar e entender e, então, aconselhar, se isso lhe for pedido, sem, jamais,  pretender impor as suas ideias.
Ser amigo é sofrer e alegrar-se com o outro, cumprindo o mandamento de o amar como a si mesmo!
Será isto utópico?!
O nosso caminhar deve ser sempre no sentido do bem, na procura de alcançarmos esse desiderato, que é a aproximação à perfeição.
Todos os dias peço ao meu Deus que eu consiga ser menos imperfeito, adormecendo de consciência tranquila  por, ao menos, ter tentado consegui -lo.
Não me censurem quando digo que amo  as pessoas (não temos que temer o verdadeiro significado da palavra) e quero um Mundo melhor para todos, sem excepção.
Espero que me compreendam.


                                                                                          JGRBranquinho

A PORTALEGRE E A SUA SERRA



Da Cidade vejo a Serra
Da Serra vejo a Cidade
Quanta beleza se encerra
Em vós, eterna saudade.

Saudade  por vos não ver
Sempre, a cada instante!
Orgulhoso, poso ser
Terno e apaixonado amante.

Qual a mais bela das duas
Nesse torrão mais querido?
A estampa ou a moldura
Dese céu apetecido?

Em vós vivi e amei
Em vós vivi, fui amado.
O vosso amor exaltei
Nos versos do meu fado.

Sempre em meu coração
Estais presente, podeis crer.
Sereis a minha canção
Mais sentida até morrer.

Quantas lembranças eu guardo
Do tempo da mocidade!
Tão diferentes deste fardo
Já pesado da saudade.

Ando de cá para lá
Enquanto, Aqui, vivo for!
Porque o pensamento está
Onde está o nosso Amor.

                                                                         
JGRBranquinho

AMBIÇÃO


Queria ser, sim,
alguém que não sou!
Deixar, da vida,
a condição mísera, vazia.
Alguém diferente, sim,
 porque encontrou
Qual regato pequenino,
 a sua larga ria.

Queria ser o tronco forte
que desafia a tempestade
e ignora o seu furor!
Queria ser, sim,
do claro dia...
um sol de certezas a abrir em flor.
Não ser nada e tudo querer ser!
Meu Deus! O que eu queria?
Viver! Viver!
Não de vãs esperanças,
frágeis, de verniz.
Mas... de certezas!
Certezas que fossem vida
e confortassem esta alma ressentida
que no Mundo não pôde ser feliz.

O que quero?!
Não sei!
Só sei que não isto que sou,
o que eu quero.
O que quis sempre?
Sei lá!
Talvez uma outra vida!
Uma vida que sonhei diferente
e não soube, nunca, o que era!
Mas eu sonho...
continuo a sonhar!

Realidades! Onde estais?Como sois?
Aspirações! Continuai em mim,
que, acordado,
eu continuo a sonhar,
a sonhar, a sonhar!

                                                                        JGRBranquinho


                                                                              

CONFISSÃO





Sim, quero-lhe sem pecado ou mal!
Inesperado querer, sentido no meu peito.
Meu privilégio... poder querer-lhe deste jeito
Em cada dia, mesmo em plano desigual.

Ultrage?!- Não!-Uma amizade especial!
Gesto sem mancha, num sentir/verdade.
O homem e o poeta- feliz realidade!
Sentimento puro, vivo, bem real.

Tenho outra visão, outro gosto de escrever!
Os  meus dias mais claros na  força  de viver
Doação recebida de coração aberto.

É já certeza  a esperança que sentia!
Trégua abençoada na dor que me assistia
Irreprimível meu canto, o estro mais desperto.

JGRBranquinho

AMOR É...


Amor... é sonho, é luta, é vida!
Encanto que nos prende a outro ser.
Alegria e tristeza, quase sempre lida!
Receio desse  bem  vir a  perder.

É dor constante em nós sentida,
Companheiro fiel que nos faz sofrer.
Mas, é , também, benção recebida
Que faz que o coração possa viver.

Amor... é sentir uma força incalculável!
Uma fé,  tão firme e inabalável
Que faz o Mundo, até, parecer melhor!

É trazer consigo labaredas de ternura!
Ver no outro o dono de uma alma pura
E poder sentir o Sol como uma flor.

                                                                                         JGRBranquinho

QUEM AMA

Quem ama não perde... enriquece a vida!
Dá, sem medida, sem saber que dá.
Vive, intensamente, uma vida mais sentida,
Conhece o que de melhor no Mundo há.

O seu pensamento é constante lida!
Está sempre onde a coisa amada está!
Aquela que é para si a imagem querida
E lhe faz parecer a estrada menos má.

É mais vida, cada momento, a sua vida!
Vive, a dois, numa ânsia desmedida
Sempre à espera de encontrar o seu AMOR.

Chora de tristeza e de alegria, com emoção,
Contrastes que em seu próprio coração
São filhos queridos dum sincero amor.


                                                                                 JGRBranquinho

MINHA CIDADE, MEU FORTE ABRIGO, MEU DOCE ENCANTO

Minha Cidade, meu forte abrigo
meu doce encanto!
Em teu seio, dia e noite,
há vida, há alegria.
Amo-te! Canto por ti
dia após dia!
Canto-te com amor,
nem sabes quanto.

Minha Cidade, meu forte abrigo,
meu doce encanto!
Na distância imposta,
és minha nostalgia.
Mãe amada, mãe saudada
nos versos do meu canto...
Recanto os tempos bons
que em ti vivia.

Minha Cidade!Minha Portalegre,
meu berço adorado!
Todo o aconchego teu,
em mim está bem guardado.
Ando a exaltar-te por todo o bem
que me fizeste.

Hei-de cantar-te, Amiga,
 até que me leve a Morte!
Serei o teu Orfeu! Tu, a minha Euridice,
minha consorte,
Retribuindo o amor
e o doce afago que me deste.

JGRBranquinho

SONHEI







Sonhei, não sei que sonhos de ventura
E deles, contrafeito, me apartei.
Acordei, e mesmo assim inda perdura
Em mim, a doce imagem que eu deixei.
Esse vulto senhoril dos sonhos meus,
Doce refúgio do meu pensar distante,
Esse pedaço de céu dos olhos seus
Que em mim se reflecte a todo o instante!...
Essa primavera em flor, da sua vida,
Essa imagem benfazeja que me é querida,
Desvanece tristezas e suavisa a dor!...

És tu,  meu anjo meigo de bondade!
Dulcíssimo clarão desta saudade
Que em mim ficou, oh! doce AMOR.


                                                                                JGRBranquinho

REGRESSO



Vai alta a noite em meu torrão natal!
Escuto o silêncio e relembro tempos idos.
Ao longe, um cão,  ladrando, dá sinal...
Os grilos e os ralos ecoando em meus ouvidos.

De regresso à velha casa, berço sem igual!
É o reencontro com motivos não esquecidos.
É o matar de saudades, que, afinal...
Tão fortes já sentiram meus sentidos.

Recordo aqui, meus sonhos já distantes
Sonhos que então sonhei, tornados desilusão
Na dura realidade que depois pude viver.

E, agora... de volta ao mundo de antes..
Eu sinto que o coração, mais que a razão...
Está preso ao que em tempos pude ter.

                                                                                             JGRBranquinho

OS MEUS VOTOS


Que as rosas, as flores silvestres e outras que dão cor à Natureza:- o verde das planícies salpicado de variados tons, o azul celeste, as límpidas e frescas águas, as leves brisas, o imenso mar ,o amanhecer e o pôr-do sol com seu arrebol, as noites de luar e céu estrelado, te acompanhem em toda a tua vida!
Que o Arco-Iris, símbolo(segundo alguns) da concórdia e protecção divinas, assim continue e sejas, Mulher,participante dessa graça por muitos anos, com a minha presença ou não, só Ele o saberá.
Que nunca te falte o ânimo, reflexo da esperança e fé numa eterna primavera que mereces viver em pleno.
Que o Amor, na correcta acepção da palavra, esteja em todo e qualquer acto ou circunstância da tua caminhada pelo nosso Planeta!
Que o Futuro, próximo ou remoto, mas risonho, se confirme como pertença tua, bem real, e possas, então e sempre, usufruir da felicidade que um dia sonhaste!
Em suma, e principalmente, por tu o amares, por tocar teu coração puro que tanto admiro e considero, quer como homem, quer como poeta.
Que sejas feliz como para mim desejo e imploro!
Que eu possa ter a dita de estar mais perto de ti, dia-a-dia, vendo-te sorrir, Mulher, Menina Bonita, Diva Linda, Musa, minha maior e mais querida inspiração.
São os meus votos sinceros, é o que  me dita o coração.

                                                                                                                                         JGRBranquinho

quinta-feira, 29 de abril de 2010

ETERNO ANSEIO, SILENTE ANGÚSTIA


É na distância sem medida, sem  esp'rança,
Que aos poucos vou morrendo, saudosa Flor!
É maior, dia-a-dia, a minha dor!
Eterno anseio, numa vida sem mudança.

Silente angústia! Luta que não cansa
Por alguém, deste jardim, a melhor flor!
Fé sem limites!... tal qual o amor
Que o tempo sublimou na confiança.

Luz que é vida! Sol que mais aquece!
Benção perene! Calor que não esmorece
O pobre coração sedento, aqui distante.

Este amor que nasceu tão mal fadado!...
É forte! É puro! Vive amargurado!
Companheiro na vida, a todo o instante.


                                                                                JGRBranquinho

SÓ TU, A MINHA INSPIRAÇÃO( Acróstico )

Salve, meu doce encantamento,
O sonho para mim mais querido!

Tímida aventura, meu contentamento,
Um sentir de amor de mais sentido.

Alva da manhã clara, minha esperança,

Meu refúgio nascente onde me inspiro!
Ingénuo querer, qual sonho de criança,
Ninfa do meu rio, por quem suspiro.
Hinos de louvor por ti,  vivo a cantar
Até que a minha voz se possa ouvir!

Ídolo que erigi em meu pobre altar
No íntimo desejo de bem te ungir.
Se o teu nome é hoje inspiração,
Poema cantado com maior fervor,
Importância inda maior, a sedução
Recebida de ti, formosa Flor.
Ando a cantar, sentindo o teu calor,
Cãntico de esperança oculta, só por ti!
Amanhã...talvez menor a minha dor,
O sofrer que há tanto, em mim senti.
                                                                                  JGRBranquinho

quarta-feira, 28 de abril de 2010

VOLTO



Volto à terra de meus anos perdidos
Encontro nela, agora, outra beleza!
Um pouco da retida em meus sentidos
Com laivos de saudade e de tristeza.

Volto e não encontro amigos queridos
Da minha infância, a melhor certeza!
Oh! quão distantes os tempos idos
Que foram, então, minha riqueza.

Juventude pujante!  Vida!  Alegria!
Felicidade que a cada passo eu sentia
Talvez ingénua p'lo modo de pensar!

Quem me dera de novo voltar a novo!...
Ao tempo em que aqui, no meu povo,
Eu jogava o meu pião, feliz, a brincar.



                                                                          JGRBranquinho

INCENTIVO MAIOR

Conheci uma jovem meiga,
linda!Moça de encanto!
Graça tão natural
que meu ser tocou.
E louvo, hoje, nos versos
do meu canto,
Quem tanto me inspirou.
Só em seu rosto,
meu olhar de espanto,
Atento viu alguém
como sonhou!
Mulher em embrião...
me tocou tanto!
Incentivo maior
que o poeta em si guardou...

                                                    JGRBranquinho
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                 

MORA A SAUDADE


   Mora a saudade,  aqui,  em cada esquina!
  Nas ruas e caminhos por onde andei.
Nos lugares e jardins em que te amei
Mulher, desde menina.

    Mora a saudade, AMOR, naquela Escola, além!
   Na casa da Quinta, onde longas horas eu te olhei.
    Mora a saudade, AMOR, nos velhos trilhos que trilhei
Nas janelas, onde, em sobressalto, te falei.

Mora a saudade, AMOR, na recordação dos encontros breves!
No perfume intenso dos bilhetes que recebi e senti,
Daqueles que, apaixonadamente, te  escrevi.

Mora a saudade, AMOR, no próprio ar que respiro!
No amanhecer e no entardecer dos dias, longe de ti
Relembrando o que fui, rememoriando o que fomos!
Chorando o que não somos, meu AMOR.

             (In POIESIS XVI  )                                                                                                         JGRBranquinho

FALA-ME, AMOR !


                                                                                     

                                                                   Quero ouvir tua voz- a mais querida!
                                                                                        Quero senti-la perto do meu ser.
                                                                                        Ouvir dizer que sou vida em tua vida,
                                                                                        Que dou gosto ao teu gosto de viver.

                                                                                         Não ouvir tua voz... mágoa sentida
                                                                                         No meu peito,  por tanto querer!
                                                                                         Ouvi-la... melodia,  canção vivida!
                                                                                         Alívio seguro neste meu sofrer.

                                                                                          Fala-me,  AMOR!  Fá-lo bem depressa!
                                                                                          Vem dizer o que à minha alma interessa.
                                                                                          Sossega o poeta que  longe por ti chora.

                                                                                          Quero escutar-te! Ouvir-te mais e mais!
                                                                                          Guardar de ti, MULHER,  recordações reais
                                                                                          Que encham o coração de quem te adora.

                                                                                                                                JGRBranquinho
                                                                                                                                                                              

RAZÃO DE SER ( I )



 Razão de ser da nossa convicção
 Arreigada há muito em todos nós
 É chama que vem do coração
 E dá mais voz à nossa voz.

  Razão de ser da nossa convicção
  Presente, cada hora, em nossa lida!...
  A certeza que é força da razão
  E  constitui razão da nossa vida.

   Razão de ser da nossa convicção
   Que nos faz lutar pela vitória
   É esta enraízada devoção
   Motivo de orgulho e nossa glória.

   Razão de ser da nossa convicção
   Reconforto no nosso dia-a-dia
   Este querer maior, esta paixão
   Que já os Fundadores distinguia.

  Razão de ser da nossa convicção
  Mistica que nos une e faz vibrar!,
  Tem mais de um século de duração
  E vai, no futuro, perdurar.

   Razão de ser da nossa convicção
   Sentir perene que inunda o nosso ser
   É o amor ao SPORTING, quase adoração
   Que em nós, jamais, vai perecer.

JGRBranquinho
                                                                                                                                                                                                                                                                                                             (Sócio Cinquentenário)

terça-feira, 27 de abril de 2010

ANSEIOS


Olá, Amigos!


Se eu pudesse mostrar a Mundo (ou ao menos aos que me rodeiam) quanto me vai na alma!
Quanto me regozijo pelo bem que vejo ou tenho conhecimento!
Quanto sofro com os males que assolam esta sociedade!
Como desejaria poder e saber contribuir para que todos tivéssemos razões para nos regozijarmos, desfrutando, Aqui, dum bem que, por enquanto, é apenas uma miragem ou sonho:- Uma Nova Terra onde nos respeitássemos e amássemos! Sentir-me-ia realizado, feliz, por, finalmente, habitarmos um Mundo totalmente diferente do que temos hoje. Um Mundo onde não entrasse a doença e a fome, onde a solidariedade reinasse para todo o sempre!
Onde a força criadora do Sol, a ternura duma noite de luar e a própria beleza duma noite de céu estrelado, fossem acompanhadas pela chuva abençoada que a Terra precisa, sinónimo de vida abundante num universo de paz e amor, também sem distinção de credos ou raças.
 São desejos que  me  habitam  e quereria fossem um sentimento colectivo, prioridade das prioridades.
Julgo serem anseios legítimos, sobre os quais deveríamos meditar.

Nota:  Gostaria que deixassem os vossos comentários.

                                                                                                                                    JGRBranquinho

MINHA CIDADE BENDITA ( Canção)

Amo-te desde criança
Meu amor não tem igual!
Tenho em ti a minha esp'rança
És meu guia, meu fanal

Refrão

Portalegre
Hino de graça e de amor
Portalegre
És bela como uma flor!
Portalegre
Minha cidade bendita
Portalegre
Minha saudade infinita.

Quero-te tanto Cidade
Que jamais te esquecerei!
És no Mundo raridade
Só por ti me enamorei.

Trago-te sempre comigo
Esteja aqui ou esteja além
Viver sem ti não consigo
Portalegre, minha mãe.
JGRBranquinho

Encontro com o poeta Manuel Alegre.


Na próxima 5.ª feira, dia 29/4/10, pelas 19.30 h- Encontro com Manuel Alegre no Auditório do Museu do Neo-Realismo, em Vila Franca de Xira, integrado nos Encontros c/ Escritores e Artistas, que a Cãmara Municipal está a levar a efeito.É uma oportunidade a não perder.Se estiver disponível, apareça.
Cantarei a "TROVA DO VENTO QUE PASSA"

Rua Alves Redol, nº 45
2600-099 Vila Franca de Xira
Telefone: 263 285 626
                                                                                                                                       
                                                                                                                                      JGRBranquinho

CANTO A ÉVORA




                   Canto à Cidade de encanto e maravilha
                   Terra querida que me enche o coração.
                  Relíquia de arte, minha melhor cartilha
           Berço de ouro da minha vocação.

                   Canto à Cidade  da  Pátria  amada filha
                Santuário vivo que é minha adoração!
              Que o Mundo p'lo seu sentir perfilha
               Constituíndo-a seu altar de devoção.

                   Canto a Évora, orgulho- mor do Alentejo
              Choro de mor saudade se a não vejo
             Glória eterna deste nosso Portugal!

               Canto à rainha da planície alentejana
            Jóia rara da linda terra transtagana
                       Justamente consagrada património mundial.

  JGRBranquinho



BARCO PRISIONEIRO


Cortem as amarras deste barco prisioneiro
Deixem-no vogar ligeiro nas águas deste rio.
Vai nele, só e triste, um coração inteiro
Já cansado de esperar horas a fio.

Deixem-no procurar a sós, a liberdade!
Ambição suprema de chegar até ao mar.
Vai nele ânsia incontida de felicidade
  E em sua alma... a fé a transbordar.

    Deixem-no poder escolher o seu futuro,
    Realizar seu sonho de amor mais puro
   Sob um céu de estrelas. a cintilar!
                                                    
         Deixem-mo vogar sem qualquer limitação!
          Nem o entrave surpresa de um qualquer tufão!
      E a seu porto seguro poder vir a ancorar.
JGRBranquinho

segunda-feira, 26 de abril de 2010

SEI, SEI BEM !


Sei bem quanto pode um grande Amor!
Sei bem da sua força em minha lida.
Se algumas vezes é sinónimo de dor
Quantas vezes, quantas!
Sinónimo de vida.

Sei dessa euforia em cada dia,
em cada hora!
Dos sobressaltos sofridos
na ausência indesejada.
Sei da inquietação, dos anseios, 
Embora nada supere o amor
 p'la nossa amada.

O Amor é um sentimento
entre todos o maior!
Só ele nos faz sentir melhor
em cada dia.
Sei que  por muito amar
me tornei melhor
Que a ele devo, Aqui,
uma vida de alegria.

Sei quanto amei
Quanto amor tenho p'ra dar.
Sei quanto o Amor é bom
Sei que quero amar.

        JGRBranquinho

LISBOA - QUERIDA CIDADE - (Canção)


                                               

Lisboa
Querida Cidade
Cidade do meu encanto!
Para mim não tens idade
E quero-te tanto!

Lisboa
Amada Cidade
Onde amei e fui amado!
Cidade que és raridade
Poema para meu fado.

Lisboa
Adorada Cidade
Terra da claridade
De tão forte inspiração!

Lisboa
Eterna Cidade
Terra da felicidade
Que trago no coração.

     JGRBranquinho

PORTALEGRE- CIDADE FLOR


Cidade Flor te chama o poeta
O poeta que te canta
Cidade linda
Que inspiras quem te adora!
Claridade maior
Luz que me encanta
Num beijo de ternura
Sentido cada hora.

Tuas límpidas águas
Invulgar frescura
Luminosa estrela
Morando no meu céu!
Na alma do poeta
Inspiração que dura
Onda e brisa, suave alento
Teu manto e véu.

Canto-te, Portalegre
Meu doce e terno Amor!
O cantar-te, sim,
Me dá outro prazer.
Ligo as palavras
Canto em teu louvor
Hoje, aqui, é menor,
Bem menor o meu sofrer!
Sinto, em mim,
Novo gosto de viver..

                                             JGRBranquinho

sábado, 24 de abril de 2010

BÊNÇÃO MAIOR



És a luz de alvorada
que anuncia o dia
O afago, a ternura
    que dão vida à vida.
                                                                   És o meu sol,
                                                                   és a minha alegria
   O meu campo verde
       na paisagem querida.


És   a minha aurora
no meu acordar
      O tempo ameno e bom
 que me acalenta!
                                                                 O bonito arrebol
                                                                    no dia a findar
       O impulso que arrebata
      e o amor aumenta.

      És o meu sonho alegre,
minha ambição!
O meu anseio maior,
  a minha ventura!
      Bálsamo de eternidade
 em meu coração
          Que todos os meus males
atenua e cura.

ÉS A BÊNÇÃO MAIOR
      QUE JAMAIS TIVE!    

                                                                                                                 JGRBranquinho 03/10/09

HINO AO SPORTING- CANTEMOS JUNTOS








Cantemos Juntos

Cantemos juntos
Sportinguistas
Nossa glória
A nossa equipa
A lutar sempre
P'la vitória.

Refrão
Sporting,Sporting!
Vamos p'ra frente
Vamos ganhar
Querer é poder!
Sporting, meu Sporting
Estou presente
Vamos lutar, vencer.

Sporting, Sporting!
Meu coração
Pulsa por ti
Com mais fervor!
Sporting, bravo" leão"
Confio em ti
Tens mais valor.

Escrito por José Branquinho

* Cantado com a música do Hino da Alegria composto por Ludwig Van Beethoven em 1823.


O Hino à Alegria ou Ode à Alegria (em alemão Ode an die Freude), é o nome do poema cantado no quarto movimento da nona sinfonia de Beethoven, conhecida também cono Hino Europeu ou Hino da União Europeia.
Beethoven compôs este texto em 1823, inspirado no poema "Ode à Alegria" de Schiller, escrito em 1785.