terça-feira, 27 de abril de 2010

BARCO PRISIONEIRO


Cortem as amarras deste barco prisioneiro
Deixem-no vogar ligeiro nas águas deste rio.
Vai nele, só e triste, um coração inteiro
Já cansado de esperar horas a fio.

Deixem-no procurar a sós, a liberdade!
Ambição suprema de chegar até ao mar.
Vai nele ânsia incontida de felicidade
  E em sua alma... a fé a transbordar.

    Deixem-no poder escolher o seu futuro,
    Realizar seu sonho de amor mais puro
   Sob um céu de estrelas. a cintilar!
                                                    
         Deixem-mo vogar sem qualquer limitação!
          Nem o entrave surpresa de um qualquer tufão!
      E a seu porto seguro poder vir a ancorar.
JGRBranquinho

Sem comentários:

Enviar um comentário