quarta-feira, 31 de agosto de 2011

TEXTO INCOMPLETO


Meu Deus! Meu Deus! Porque sou assim?!
 -Estou feliz e não sou capaz, sequer, de o demonstrar!
Estou feliz mas com uma sensação de alegria insatisfeita e incompleta, que não sei descrever. Que talvez não possa declarar...
Porquê?
Sinto-me feliz, mas não totalmente, porque não posso partilhar esta felicidade!
É, assim, uma felicidade incompleta, só vivida por mim, num segredo absoluto.
O amor acontece e o que parecia ser, não é o que se desejaria fosse!
Quereria poder gritar ao mundo, "aos quatro ventos" esta alegria íntima que me domina.
A verdadeira felicidade só o é se a partilharmos-  é voz corrente.
Queria que soubessem como estou feliz, mas as convenções... Ai, as convenções!
Porque é proibido amar alguém que é móbil dos nossos sonhos?!
Há regras...-  dirão alguns.
Que me importa? - ( Dizia para si mesmo para se encorajar!)
Amar uma mulher com todas as forças, com toda a veemência dos meus sentidos e ter que calar este sentimento verdadeiro!
Declará-lo à pessoa amada, começou por ser um embaraço, receando ser mal compreendido.
Veio o recurso à escrita, seguido do anseio da resposta, até da dúvida do aceitar daquela declaração/verdade.
Que sofrimento!
Que ansiedade!
Será que houve precipitação?- pensava temeroso.
Dias que pareciam nunca mais findar, mas também com o medo terrível da resposta negativa, mesmo tendo uma réstia de esperança por motivo de situações anteriores que motivaram o escrito.
Finalmente...  veio a resposta! Sim, veio a resposta mais desejada, confirmação da empatia por que esperava e ao mesmo tempo receava.
E... agora?- Agora era a loucura total! Como calar? Como calar essa alegria por que tanto aguardava?!
( "Já deveria ter pensado que não lhe negaria esse pedido"!... )
-Assim "rezava" um dos períodos da missiva- abençoada missiva, agora em suas mãos e que guardava religiosamente no bolso falso do casaco, do lado do coração.

NOTA:-Texto a rever e a completar.
JGRBranquinho

2 comentários:

  1. Gato?
    Plangente meu coração chora
    Duas vezes a dizer adeus!
    Duas vezes ao romper a aurora
    Torna-se em dor o peito meu!

    ResponderEliminar
  2. Gato? Janeiro ainda está longe...Sê mais clara!
    Espero vir a saber quem se esconde neste anónimo.
    Terá as s/ razões, mas... vá lá... dê mais pistas.
    Bonita quadra! Parabéns!

    ResponderEliminar