quinta-feira, 19 de maio de 2016

NO SILÊNCIO DA NOITE



No silêncio duma noite calma
Vivida aqui, a sós, no meu lugar,
Corri eu na direção ao teu lar  
Coração aos saltos, o fogo n’alma.

Corria silente, entusiasmado,
À tua procura, meu doce Amor,
Ao teu encontro meu terno Amor
Tal como já estava combinado
Entre nós, fruto de tão grande amor.

Corria e pensava, somente, em ti,
Minha flor desejada, flor amada,
Tal como sempre em mim senti!

Desde certo encontro, o mais feliz,
Na nossa velha e bonita estrada
O teu poeta, jamais foi infeliz.

19 de maio de 2016
JGRBranquinho    -   “Zé do Monte”





Sem comentários:

Enviar um comentário