domingo, 11 de janeiro de 2015

CONFIRMAÇÃO - CARTAS DE AMOR


CONFIRMAÇÃO          
“CARTAS DE AMOR” (segundo Álvaro de Campos- heterónimo de Fernando Pessoa)
(Síntese da minha responsabilidade)

“Todas as cartas de amor são ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem ridículas.
As cartas de amor, se há amor, têm que ser ridículas.
Mas, afinal, só as criaturas que nunca escreveram cartas de amor
é que são ridículas”….
Eu escrevi, escrevo e escreverei cartas de amor ridículas,
correndo embora o risco de ser ridículo e, simultaneamente,
 não o ser, pelo menos, a meus olhos!
Continuarei a ser ridículo por vontade própria e assim ser considerado,  
provavelmente, aos olhos dos que nunca escreveram cartas de amor.
Continuarei a escrever cartas de amor, em verso ou prosa, sem receio
de ser ridículo.
Que me importa? Quem não as escreveu que me atire a primeira pedra.
Mal dos que nunca tiveram a possibilidade escrever cartas de amor ridículas!
Se ainda forem a tempo (‘mais vale tarde… que nunca’!) escrevam-nas.
Não tenham receio de ser ridículos! Escrevam cartas de amor!

Quinta da Piedade, 11 de janeiro de 2015
JGRBranquinho

Sem comentários:

Enviar um comentário